A captação de recursos em tempos de Coronavírus!

O Coronavírus mudou o mundo. Mudou a forma como trabalhamos, mudou nossa forma de lazer, mudou nossa forma de demonstrar afeto e mudou também a forma de fazer captação de recursos!


Após essa pandemia, podemos ter certeza que captar recursos não será nunca mais como o período anterior a esse vírus! As entidades que ainda não se adaptaram, terão que mais cedo ou mais tarde, fazer isso ou os resultados serão desastrosos.



Mas, o que mudou na forma de captar recursos?


Muita coisa, e a principal delas foram as lives musicais e artísticas. A maioria das lives do país exibiram QR Codes, onde era só apontar a câmera do celular para ser direcionado a um aplicativo, que intermediava a doação para organizações que tinham as mais variadas iniciativas. Foram milhões arrecadados, e milhões de pessoas que doaram e ainda doam.


Além das lives, também começaram a aparecer as doações captadas pela internet, como as campanhas de financiamento coletivo (as conhecidas vaquinhas ONLINE).


E, por incrível que pareça, muitas pessoas contribuíram dessa forma pela primeira vez, para alguma ONG e estão doando até hoje. Isso é incrível!


Fora da internet, também foi destaque as doações. Para se ter uma ideia, o Monitor de Doações do Covid-19, mostrou que bilhões de reais foram doados e ainda são, em todo o Brasil, principalmente vindo de empresas.


A solidariedade é outro destaque, nunca foi tão noticiado como agora os movimentos de doações e as campanhas.


Qual o impacto disso para a captação de recursos? Simplesmente transformador.


De uma hora para outra, passamos a ter milhões de pessoas mais próximas das organizações da sociedade civil, dispostas a doar e efetivamente fazendo isso. Com um trabalho bem feito e dedicado, as instituições podem construir um relacionamento de longo prazo com essas pessoas, tornando-as doadoras recorrentes e alavancando a sua própria receita.


Além disso, todos estão mais conectados agora. A doação via código QR não é mais desconhecida de ninguém (ela já existia antes, bem como as lives filantrópicas), a tecnologia se disseminou e as pessoas sabem como usá-la. Como um código QR nada mais é que um endereço de internet, em formato de imagem, ele pode levar a qualquer página, inclusive à página de doações da sua organização – o doador não precisa sequer ter um aplicativo em seu celular.


Outro fator importante é que estamos perdendo a vergonha de pedir doações. Sim, essa vergonha existe. Muitas instituições, e suas lideranças, têm certo pudor em se expor pedindo doações para a organização.


O sucesso das captações realizadas em todo o país nesses últimos meses mostra que quem está pedindo, de forma estruturada e séria, e tem uma boa base de apoio na divulgação, está recebendo doações. Está provado que não tem por que não investir em captação de recursos.


De fato, estamos todos vivendo em um novo mundo, que mexe com a nossa vida de forma indiscriminada.


Agora, me conta, sua entidade está preparada para este "Novo Mundo"?

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo