Com a drástica queda dos telefones fixos, o telemarketing de sua entidade corre sério risco!


A maioria das instituições filantrópicas que possuem um telemarketing, estão alicerçadas numa base de doadores com telefone fixo. Esse cenário é de alto risco, tendo em vista que a forma de comunicação vem mudando rapidamente em todo o mundo.


Na ultima edição do Censo Demográfico do IBGE, segundo dados coletados pela Teleco e divulgados em uma publicação do site TechTudo, os aparelhos fixos estão cada vez mais obsoletos, representados por 38,3 milhões de assinaturas, quanto o uso de celulares é evidenciado por um numero quase 6 vezes maior, totalizando 229,2 milhões!


Sua entidade precisa urgentemente, rever os métodos de trabalho do telemarketing, promovendo ações necessárias para transformá-la em uma central de doações e com o apoio de um Setor de Marketing e Comunicação especializada dar continuidade na gestão da carteira de doadores, mesmo que o telemarketing, como conhecemos hoje, não exista mais num futuro próximo.


Como manter minha carteira de doadores, sem o telemarketing?


1- Implantando ferramentas de automação, como do: WhatsApp e outras Mídias Sociais;

2- Migrando o método de pagamento para boleto bancário, cartão de crédito e débito em conta;

3- Transferindo a gestão de sua carteira para uma empresa especializada;

4- Buscando doadores novos em público diferente, através de, principalmente, redes sociais;


Se sua entidade já está trabalhando em umas das 4 ações acima, então, não se preocupe que assim que o telemarketing ficar definitivamente obsoleto, seus doadores irão continuar ajudando sua entidade.


Aqui na Amais Terceiro Setor, temos um Sistema que pode te ajudar de forma eficiente a fazer a Gestão de Sua Carteira de Doadores. Entre em contato para mais informações. 📲 WhatsApp (14) 3042 - 0590.



6 visualizações